Vale a pena advogar ou concurso público?

5 minutos para ler

Todos os estudantes de direito, em algum momento, são questionados: “você vai resolver advogar ou concurso público?”. Com isso, surge a dúvida: vale a pena advogar ou concurso público?

ser ou não ser? eis a questão.

Nesse artigo, analisaremos com profundidade o mercado jurídico para te ajudar a ter essas respostas. As conclusões são surpreendentes e trazem novas possibilidades para os operadores do direito.

Fique até o final se você quer saber sobre como a tecnologia pode trazer novas possibilidades para o Direito!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

MERCADO JURÍDICO

O Brasil possui hoje mais de 1.1 milhão de advogados inscritos na OAB. Isso significa que, a cada 200 pessoas no país, uma é advogada.

Além disso, o país possui cerca de 1.200 faculdades de direito. Um número tão expressivo que o Brasil possui mais faculdades do que o resto do mundo junto.

Devido a esse fato, é comum que vários operadores do direito digam que o mercado está cada vez mais competitivo e saturado.

Por outro lado, segundo notícia veiculada no Conjur no final de 2017, o mercado jurídico movimenta R$ 50 bilhões de reais ao ano e possui taxa de crescimento anual de cerca de 20%.

Vale a pena advogar?

O salário praticado por muitos escritórios de advocacia para advogados recém-formados e a má gestão são fatores que desestimulam muitos estudantes e jovens advogados de persistirem na profissão.

Nesse cenário, com muita sobrecarga de trabalho e estresse, além da pouca valorização, muitas pessoas afirmam que não vale a pena advogar.

Abordamos esse assunto com profundidade no Artigo “Advogado Júnior e o problema estrutural dos Escritórios de Advocacia”.

No entanto, além dessas opções tradicionais, existem outras possibilidades.

Quais possibilidades existem no Direito atualmente?

Alguns podem abrir o próprio escritório e trabalharem em home office. É o caso de advogados como o Pedro Custódio, que possui um escritório de advocacia 100% digital e um Blog com mais de 1.100 seguidores.

O Pedro, é um advogado que trabalha exclusivamente online e mora em um sítio.

No Podcast da Freelaw, tivemos a oportunidade de conversar com ele, se você quiser escutar o episódio clique aqui!

Outros podem atuar em grandes escritórios por um período de tempo e depois abrir o próprio escritório.

A verdade é que ainda existem muitas oportunidades na advocacia, principalmente para aqueles que pensarem de forma inovadora.

Para se destacar nesse mercado é fundamental se especializar em alguma área do direito, compreender os métodos adequados de solução de conflitos e buscar efetivamente resolver o problema das pessoas.

Banner - Lawtech e Legaltech

Além disso, é importante aprender conceitos básicos sobre gestão, finanças, marketing jurídico e vendas.

Poucos advogados conseguem fazer isso com excelência. Por isso, existe uma grande oportunidade no mercado para os jovens que quiserem fazer diferente.

O direito, contudo, traz muitas possibilidades além da advocacia.

O Dr. Pedro Ribeiro, advogado com quase 30 anos de experiência, em uma palestra para estudantes de direito e advogados, disse com maestria que: “O direito é tão amplo que as pessoas podem optar por, inclusive, advogar”.

Além da advocacia, é possível buscar a carreira acadêmica, atuar na área de consultoria ou até empreender no direito (como fazemos aqui na Freelaw!).

É possível ainda optar por trabalhar em uma área completamente diferente. E o que de errado tem nisso?

Afinal, cerca de 80% das profissões que existirão em 2030 ainda não existem.

Existem profissionais do direito bem sucedidos que atuam na área de inside sales ou inbound marketing em Startups, outros que atuam como investidores anjo, outros que abriram o próprio negócio.

Em todos os casos, o conhecimento jurídico auxilia, ainda que de forma indireta. O direito ajuda as pessoas a enxergarem e solucionarem problemas de forma diferente, além de auxiliar na capacidade de raciocínio crítico, de oratória e de argumentação.

Vale a pena fazer concurso público?

O cenário para os concursos públicos não é dos melhores. Eles estão cada vez mais concorridos e os benefícios já não são mais os mesmos de antigamente.

Entretanto, este caminho ainda é muito atrativo para pessoas que valorizam a estabilidade e a segurança.

O aconselhado para as pessoas que optarem por esse caminho é buscar um concurso específico, para o qual se consideram vocacionadas.

Caso contrário, correrão o risco de conseguirem a aprovação e se tornarem frustradas em sua profissão.

O direito é um curso muito amplo e possui oportunidades tanto para pessoas que seguem caminhos tradicionais na advocacia ou em concursos públicos, quanto para pessoas que optem por caminhos inovadores.

Vale a pena advogar ou concurso público, no final das contas?

Como todos os operadores do direito gostam de dizer: “depende”.

Em alguns casos vale a pena advogar, em outros vale a pena fazer concurso público. Entretanto, é importante perceber que existem muitas outras opções além dessas.

Como disse o Pedro Custódio no Podcast Lawyer to Lawyer, “Devemos encarar o direito como um meio para alcançarmos nossos objetivos e não como um fim”.

Se você quiser escutar outros advogados comentando sobre o mercado jurídico, escute o Podcast da Freelaw. Estamos no Spotify, na Apple, no Google e em todas as plataformas disponíveis.

Você também pode gostar

Deixe um comentário