Síndrome de burnout na advocacia: O que é e como evitar?

Imagem 5 - Síndrome de burnout na advocacia
4 minutos para ler

Em muitos escritórios, é comum que os advogados com a síndrome de burnout na advocacia. Essa doença é causada por um ambiente de trabalho estressante e de muita sobrecarga de trabalho.

Apesar desse ambiente de pressão ainda ser exaltado por muitos escritórios e por muitos advogados, é preciso, no mínimo, refletir novamente sobre a questão.

Afinal, vários advogados estão doentes.

E vários escritórios estão com altas taxas de rotatividade de profissionais, alto índice de erros e sofrem com a perda na qualidade dos serviços.

O que é a síndrome de burnout na advocacia?

Como ela pode ser diagnosticada, prevenida e tratada?

E por que escritórios devem dar atenção para esse assunto?

Fique até o final e saiba tudo o que você precisa saber sobre a síndrome de burnout na advocacia.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

O que é a Síndrome de Burnout?

Imagem 4 - Síndrome de burnout na advocacia

Segundo o Dr. Drauzio Varella, a síndrome de burnout é um estado físico, mental e emocional de exaustão extrema, causado por situações intensas de estresse no trabalho.

Esta síndrome é comum em profissionais que estão diariamente sob pressão e pode causar nervosismo, sofrimentos psicológicos e problemas físicos, como cansaço, dor de barriga e tonturas.

Recentemente, a OMS classificou a Síndrome de Burnout como uma doença.

Doença que, segundo a International Stress Management Association, afeta aproximadamente 32% dos trabalhadores brasileiros.

Ainda não existe pesquisa sobre a síndrome de burnout especificamente na advocacia.

Mas, considerando os prazos processuais e a rotina que os advogados se submetem, é razoável estimar que pelo menos 50% dos advogados sofram com essa síndrome.

Síntomas da Síndrome de Burnout na advocacia

O advogado pode identificar que está com síndrome de burnout quando começa a não ter vontade de sair de casa para trabalhar.

Além disso, dores de cabeça frequentes, insônia, falta de concentração e um sentimento forte de insegurança são sintomas da doença.

Um advogado com Burnout pode ter medo de fracassar, medo de perder prazos, possui alterações repentinas no humor, pressão alta, dores musculares, problemas gastrointestinais, alteração de batimentos cardíacos e até depressão.

Como diagnosticar e prevenir a síndrome de burnout?

Apesar de negligenciado por alguns, a síndrome de burnout é uma doença. E, como tal, deve ser analisada em exame clínicos, por psicólogos e médicos especializados.

O tratamento pode ser feito com psicoterapia e medicamentos.

Atividades físicas e exercícios de relaxamento também podem ajudar.

Mas principalmente, mudanças na condição de trabalho, nos hábitos e estilo de vida são as primeiras medidas a serem tomadas e ajudam no tratamento dos sintomas logo no início.

O primeiro passo para evitar a síndrome e/ou para tratar é diminuir o estresse e a pressão no trabalho.

Por que escritórios deveriam se preocupar com a síndrome de burnout na advocacia?

A sobrecarga de trabalho e a pressão vivenciada nos escritórios de advocacia são fatores decisivos para desencadear essa doença.

E, ainda que os sócios não sejam afetados diretamente pela síndrome, o escritório certamente será.

Afinal, um advogado com os sintomas da doença poderá perder prazos, ser menos produtivo, cometer mais erros e entregar serviços aquém da qualidade esperada.

Sem contar que esse advogado certamente terá um pior relacionamento com os clientes e com a equipe interna do escritório.

Nesse cenário, as consequências são claras:

  • Reclamação de clientes
  • Alta rotatividade de profissionais
  • Um sentimento constante de “medo de perder prazos”
  • Conflitos na equipe interna
  • Diminuição na qualidade dos serviços
  • Diminuição na produtividade dos advogados
  • Acúmulo de serviços para serem executados

Diante disso, as perdas para o escritório são evidentes.

Por trás de um advogado sobrecarregado, existem clientes insatisfeitos.

Por isso, tanto os advogados quanto os escritórios devem buscar medidas para reduzirem a sobrecarga e o estresse no ambiente de trabalho.

Esta, além de ser uma medida de saúde pública, é uma medida necessária para escritórios que desejam aumentar a eficiência na execução de serviços jurídicos e, consequentemente, o faturamento.

A Freelaw acredita em uma nova forma de trabalho na advocacia, com eficiência e qualidade na execução de serviços jurídicos.

Se quiser entender como diminuir a sobrecarga de trabalho na advocacia com ajuda da Freelaw, leia o nosso Artigo: “Uma nova forma de trabalho no Direito”.

Você também pode gostar

Deixe um comentário