Publicidade na advocacia: como fazer e como não fazer

Publicidade na advocacia: como fazer e como não fazer
7 minutos para ler

A publicidade na advocacia é um assunto que está sempre em discussão, devido à regulamentação pelo Código de Ética e Disciplina da OAB.

Para que os escritórios sobrevivam neste mercado competitivo, é importante se valer de toda a estratégia possível para continuar crescendo. 

Mas como divulgar o seu trabalho sem ferir o Código de Ética? Há formas de captar clientes e, ao mesmo tempo, “estar dentro da lei”?

Leia este artigo até o final e descubra como seu escritório pode crescer, captar clientes e fazer da publicidade uma boa aliada.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

A publicidade e o velho marketing na advocacia

A publicidade é utilizada como uma forma de o advogado se comunicar e captar clientes. Essa prática não é nova e é possível que você ainda tenha em alguma gaveta: canetas, calendários, chaveiros, pen drives ou qualquer outro brinde personalizado. 

Essa prática de publicidade mercantil sofreu forte impacto pela regulamentação do Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB.

As disposições do Código vedam  a realização de algumas formas de publicidade mais tradicionais, conforme disposto no arts. 28 a 34. São vedadas, por exemplo, a realização de anúncio de serviços via outdoor, a realização de programas de rádio e televisão para promoção profissional.

Contudo, mesmo observadas as recomendações, a maioria dos advogados ainda investe em formas tradicionais de fazer publicidade na advocacia.

Investindo, por exemplo, nos já citados, materiais de divulgação, cartões de visita, participações em feiras e eventos…

Mas já existem formas inovadoras de se fazer publicidade na advocacia.

Com a tecnologia e a consequente ascensão dos meios de comunicação digitais, surgem novas possibilidades: como a criação de conteúdos para a web e a criação de perfis nas redes sociais para os escritórios, por exemplo.

Alguns escritórios até tentam desenvolver algumas estratégias digitais, mas poucos dão continuidade ao projeto, em razão da sobrecarga de trabalho ou pelo receio de ferir o Código.

O Marketing de conteúdo e novas formas de se comunicar

publicidade na advocacia - imagem 01

Com a ascensão das novas tecnologias, muitos advogados passaram a utilizar essas práticas para aumentar sua participação na rede e criar formas disruptivas para captar clientes. 

Considerando a alta competitividade do mercado jurídico, a inovação na advocacia, hoje, é praticamente um pré-requisito para se destacar no mercado profissional.

Além disso, o consumidor está cada vez mais seletivo e empoderado. Isso, porque, hoje, ele busca informações na internet e tem acesso a conteúdo de qualidade – a qualquer tempo e em qualquer lugar. 

Por isso, é preciso estar presente na internet, em sites e em blogs, no facebook, no youtube e até no spotify.

Atualmente, um anúncio bem produzido no Instagram pode ser mais efetivo para a captação de clientes do que uma propaganda em horário nobre da Globo.

Mas, para isso, você precisa conhecer e dominar técnicas do marketing de conteúdo.

O que é marketing de conteúdo?

Marketing de Conteúdo é uma forma de você se envolver com seu público-alvo e aumentar sua carteira de clientes por meio da geração de conteúdos relevantes.

O objetivo é atrair cada vez mais clientes, agregando valor para ele, por meio da criação de uma concepção positiva do seu negócio.

Valendo-se desse conceito, existem práticas modernas e estratégicas para a aquisição de clientes, utilizando elementos de Inbound Marketing, Growth Hacking, dentre outros. 

Nesse novo cenário, há possibilidades inovadoras para realização do marketing jurídico.

Sobre isso, já abordamos com profundidade em nosso Manual Completo sobre Marketing Jurídico.

E como fica o Código de Ética da OAB nessa história?

Muitos advogados se perguntam se estas estratégias inovadoras de marketing, respeitariam o Código de Ética da OAB.

A resposta é: Sim!

Por vezes, acreditamos que advogados não podem divulgar seus serviços jurídicos.

No entanto, como dissemos, não são todos os tipos de publicidade na advocacia que são vetados pelo Código.

As disposições do Código proíbem apenas as formas mais tradicionais de publicidade!

Nesse cenário, se você pensa em fazer publicidade da forma antiga, com anúncios dos serviços em rádio e TV, não faça!

Esse tipo de publicidade pode te trazer problemas e, certamente, não trará os resultados que você espera, uma vez que, atualmente, as estratégias e os meios de comunicação mais eficazes são outros… 

Por outro lado, se você buscar entender o perfil do seu cliente ideal, traçar uma estratégia de produção de conteúdo de valor para o seu público – que tenha constância e realmente se conecte com ele, faça publicidade sim! 

Com uma estratégia bem definida, os resultados são reais!

Essas estratégias vão te auxiliar no fortalecimento do seu escritório, no alcance do seu público e especialmente na captação e na retenção de clientes.

Estratégias de marketing jurídico para a captação de clientes 

Nesse rol de ferramentas do marketing jurídico, as parcerias podem ser utilizadas para captar clientes e trazer muitos outros benefícios para o escritório. 

Por meio da parceria jurídica, é possível atuar em esferas do direito que você não domina, mas que seu parceiro seja especialista no assunto. Dessa forma, você pode ampliar o portfólio de serviços e, assim, ter estrutura e capacidade para captação de mais clientes.

Mas como encontrar o parceiro ideal para te ajudar? Como posso demandar serviços e atuar mais em questões estratégicas do escritório?

A Freelaw permite a conexão entre profissionais de acordo com a especialidade do advogado.

Ou seja, vamos supor que você precise de uma petição inicial na área tributária, ou precise de um profissional para produzir conteúdo jurídico para seu Blog.

A plataforma da Freelaw pode te ajudar a encontrar os profissionais ideais para essas demandas!

E, da mesma forma, caso você precise de um advogado júnior ou de um advogado doutor em determinado assunto, a Freelaw encontrará o profissional com o perfil mais adequado à sua necessidade, observando o melhor custo-benefício.

É um ambiente que gera confiança para o escritório, além de possibilitar a expansão das áreas de atuação do escritório, sem a necessidade de aumento da equipe ou da estrutura física. 

Conclusão

Em resumo, a regular ou irregularidade da publicidade na advocacia depende da forma como essa é feita.

As formas de publicidade tracionais, em meios de comunicação como rádio e TV e que tenham como exclusivo objetivo a promoção dos serviços jurídicos de um escritório de advocacia, tendem a ser proibidas pelo Código e repelidas pelo Tribunal de Ética da OAB.

Com as novas tecnologias, há outras formas de se fazer marketing na internet, como por exemplo, por meio da produção de conteúdo para web.

Mas, antes de fazer publicidade, entenda o seu público e o que você deve produzir de conteúdo para ele. É importante gerar valor para o cliente e não focar na promoção dos seus serviços! 

O seu público-alvo precisa entender que você é expert em determinado assunto (por meio da produção de conteúdos de valor) e, a partir de então, ele começará ver você como autoridade no tema.

Assim, no momento em que um potencial cliente tiver problemas na área do direito em que você se mostra especialista, ele lembrará de você como referência no assunto! 

Faça tudo isso dentro de uma estratégia, com constância e com base em dados, definindo seus objetivos e a melhor forma de captar clientes.

E, caso você não tenha especialidade em determinado tema ou em alguma área que estão relacionados à sua área de atuação?

A Freelaw te conecta com um advogado parceiro e te ajuda nessa captação de clientes!

Quer saber mais como advogados estão utilizando a Freelaw para fazer parceria jurídica? Leia o artigo que escrevemos sobre isso.

Você também pode gostar

Deixe um comentário