Empreendedorismo jurídico: é hora de transformar o seu escritório em uma empresa!

11 minutos para ler

Com o avanço das inovações e tecnologias no Direito, o empreendedorismo jurídico ganha cada vez mais destaque. Agora, não basta ser advogado, é preciso ser empreendedor e aprender sobre temas fora do direito.

Nessa nova advocacia, o advogado precisa desenvolver uma visão sistêmica do escritório, conhecer o mercado em que atua e as ferramentas tecnológicas necessárias para o seu crescimento.

Qual a importância do empreendedorismo jurídico no mercado atual? Como um advogado pode se tornar um empreendedor? Quais as oportunidades e desafios existem nesse novo cenário?

E como a Freelaw pode ajudar um advogado empreendedor?

Fique até o final se você quer profissionalizar o seu escritório e transformá-lo em uma empresa!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

O cenário do mercado atual e a necessidade de se empreender na advocacia

O Brasil é o país com maior número de cursos de direito no mundo e possui mais de 1 milhão de OABs ativas. Trata-se, portanto, da maior densidade de advogados por habitante no mundo.

A advocacia, portanto, não é a mesma de 20 anos atrás.

É cada vez mais difícil crescer e se manter nesse mercado competitivo.

Além disso, dados do Sebrae indicam que 25% das empresas fecham as portas com até 02 anos de mercado. Ou seja, a dificuldade de criar uma empresa não é só no Direito, mas também em outros mercados.

No mercado jurídico, segundo dados divulgados pela Revista Exame, em um período de 10 anos, 11.100 escritórios de advocacia foram abertos em São Paulo.

30% desses escritórios fecharam as portas durante esses 10 anos.

Quais são as causas da falência dos escritórios de advocacia?

Segundo o Sebrae, vários fatores são responsáveis pelo fechamento das empresas, entre eles o planejamento, a capacitação dos sócios e a gestão do negócio.

Nesse sentido, a falta de noções de empreendedorismo, planejamento e gestão financeira são as principais causas para o fracasso de um negócio.

Essa lógica também se aplica aos escritórios de advocacia.

E é verdade que o conceito de empreendedorismo nem sempre esteve relacionado ao mundo da advocacia.

Afinal, advogados fazem direito para serem advogados, não empreendedores.

Entretanto, um escritório de advocacia é uma empresa de prestação de serviços jurídicos. E, dentre as suas tarefas, existem questões administrativas, financeiras, jurídicas e gerenciais.

Por isso, um advogado que se preocupa exclusivamente com a área jurídica, está negligenciando diversas outras partes essenciais do seu negócio.

Texto: empreendedorismo jurídico

Quais as vantagens em empreender na advocacia?

Quando um escritório empreende no direito, é possível:

Como escritórios estão empreendendo na prática?

Não existe uma receita de bolo para empreender na advocacia.

Como abordamos em nosso artigo sobre Legal Growth Hacking, cada escritório deve traçar uma estratégia diferente, de acordo com sua realidade.

O primeiro passo é definir as prioridades do escritório, entender os maiores gargalos para, em sequência, buscar soluções.

Em muitos casos, sequer será necessário utilizar alguma tecnologia.

Possivelmente, com uma mudança de cultura do escritório, com a definição de novos processos internos, com uma nova gestão e com um planejamento estratégico bem definido, o problema será solucionado.

Entretanto, em diversos casos, pode ser interessante buscar aplicativos para advogados, aplicar técnicas de Legal Design ou utilizar Lawtechs e Legaltechs, para, por exemplo, desenvolver contratos mais inteligentes e seguro com a tecnologia Blockchain.

A utilização de tecnologia no direito, pode permitir, dentre outros:

Sim, existem muitas tecnologias disponíveis e o cenário pode ser um pouco assustador no primeiro momento para advogados que não estão inseridos nesse meio.

Entretanto, o papel do empreendedor jurídico é justamente compreender as possibilidades existentes e entender o que deve ser aplicado ao seu negócio e o que não deve.

Texto do Blog da Freelaw: Empreendedorismo jurídico

Existem requisitos para que o advogado se torne empreendedor?

A verdade é que não existem requisitos formais para que o advogado se torne um empreendedor jurídico.

Entretanto, com a nossa experiência aqui na Freelaw, entendemos que existem 04 fundamentos básicos que todos os advogados empreendedores deveriam seguir:

1) Aprender rápido, agir rápido e errar rápido

Um empreendedor jurídico não sabe, e nunca saberá, tudo. Entretanto, ele é um fast learner.

Se ele não sabe algum conceito ou não conhece alguma tecnologia, ele busca no Google, conversa com outras pessoas mais experientes e conseguirá aprender.

Ele também sabe que é preciso agir rápido e também errar rápido. Por isso, realiza muitos testes.

Por isso, se um empreendedor está com dificuldades, por exemplo, na captação de clientes, ele pode realizar um teste no Instagram por uma semana.

Ao final, ele analisará o que funcionou e o que não funcionou. Em seguida, aprenderá com os erros e tentará uma nova iniciativa, no próprio Instagram ou em outro meio, físico ou digital.

O empreendedor advogado entende que o erro faz parte do processo.

2) Utilizar tecnologias e inovações antes de outros advogados e escritórios

Um empreendedor jurídico é aquele que age antes dos outros escritórios. Se ninguém está falando, por exemplo, de criar uma equipe jurídica online, o empreendedor pode querer se aprofundar e entender essa tendência.

Quanto antes o empreendedor utilizar a tecnologia, maior será o diferencial que terá perante o restante do mercado.

3) Focar em dados e métricas

Para entender os resultados do escritório, é importante que o advogado empreendedor sempre tome suas decisões com base em números.

Como saber se a qualidade dos recursos do escritório estão melhorando ou piorando? É importante medir! Quantos Recursos são providos por mês, por exemplo?

E a captação de clientes do escritório está boa ou ruim? Quantos clientes novos surgiram no último mês? E quantos surgiram no mês anterior?

Todos os dados e métricas relevantes do negócio devem ser analisados com frequência.

4) Definir metas claras

Onde o escritório vai chegar no fim do ano? Quais os objetivos para cada advogado e cada área do escritório?

Um empreendedor na advocacia precisa saber responder todas essas perguntas.

E agora? O que fazer? 😨

Novamente… não existem respostas que funcionarão para todo mundo.

É importante entender essa nova realidade e definir as prioridades do seu escritório. Em seguida, naturalmente, você encontrará as soluções para os seus problemas.

A Freelaw, por exemplo, é uma solução que pode te ajudar a:

  • contratar profissionais qualificados sob demanda para execução de petições, consultas, contratos e recursos
  • executar serviços de sua área de especialidade sob demanda para outros escritórios

Na prática, quais as possibilidades que surgem com a empresa?

Empreendedorismo jurídico com a Freelaw

Logo da Freelaw

Expanda as áreas de atuação do seu escritório

Com a Freelaw, você consegue realizar parcerias jurídicas com especialistas de outras áreas de atuação, absorver mais demandas em seu escritório e aumentar a sua renda.

Contrate advogados sob demanda para execução de petições, contratos, consultas e recursos

Uma outra possibilidade é utilizar a Freelaw para execução dos serviços jurídicos no dia a dia do seu escritório.

Afinal, a contratação de advogados home office sob demanda implica em uma diminuição natural dos custos fixos do escritório, que, antes, precisava ter todos os advogados trabalhando internamente.

Além disso, a Freelaw sempre localizará os profissionais mais adequados para aquele serviço.

Isso significa que, caso você precise de um serviço mais simples, você poderá encontrar um advogado júnior. E, caso precise de um serviço mais complexo, poderá buscar um advogado mais experiente.

Na prática, isso gera um custo-benefício maior tanto para o contratante quanto para o contratado.

E… sabe aquela pilha de questões pendente que você tem em sua mesa?

Com os parceiros que você pode contratar por meio da Freelaw você poderá acabar com as pendências com agilidade e excelência.

Na Freelaw, você continua no controle de toda a execução de serviços, você envia as orientações, negocia o valor e o prazo com o parceiro e, ao final, ainda tem direito de pedir modificações e/ou esclarecimentos.

Consequentemente, você consegue aumentar o tamanho da sua equipe jurídica, sem aumentar a sua estrutura.

Nós garantimos a segurança das informações e geramos confiança na relação entre os advogados. E você permanece 100% no controle da execução dos serviços.

E quanto custa a execução de um serviço por meio da Freelaw?

Em geral, os custos de um serviço dependem de quantas horas o profissional gastará para finalizar o trabalho e de qual o valor aquele profissional recebe por hora.

Quanto mais simples o serviço, menor será a quantidade de horas despendidas e, naturalmente, menor será o valor.

Da mesma forma, quanto menor for a experiência do profissional, menor será o valor de sua hora e, naturalmente, menor será o valor cobrado.

Isso significa que existe uma variação natural dos preços: serviços que gastarão mais horas e/ou necessitam de profissionais mais experientes possuirão valores mais altos.

É importante ressaltar que a Freelaw não realiza nenhuma interferência nessa negociação de preços, que é feita entre o contratante e o profissional.

Se você tem dúvidas sobre a precificação, recomendamos que você realize um teste: envie um serviço sem nenhum valor e aguarde as propostas dos profissionais.

Aos poucos, você saberá qual o valor pagar por cada serviço.

E como a Freelaw garante que os serviços serão entregues na qualidade esperada?

Nós possuímos um sistema de avaliação dos profissionais e um Match Inteligente, que visam garantir maior segurança e qualidade na relação entre advogados.

Antes do início do serviço, o escritório possui acesso às informações relevantes do perfil do profissional e poderá enviar orientações (e até modelos para serem seguidos).

Ao final, o escritório ainda poderá pedir modificações e/ou esclarecimentos, além de contar com o suporte da Freelaw sempre que necessário.

Se você desconfia da qualidade dos profissionais… de novo, a sugestão é a realização de testes: envie um serviço e aguarde que enviaremos os perfis para sua análise.

Se você não gostar de nenhum perfil, você pode cancelar o serviço sem pagar nenhum valor.

O futuro é logo ali

O cenário para o empreendedorismo jurídico brasileiro é promissor.

E, não necessariamente você precisa utilizar uma solução como a Freelaw.

Entretanto, compreender esse movimento, que está apenas no início, é uma necessidade para que você faça parte da advocacia 4.0

Existem várias situações que ainda demandam soluções sólidas, como o alto índice de litigiosidade no Brasil, as barreiras para o acesso à justiça, o tempo de tramitação de processos, dentre outros.

Para isso é importante abandonar velhos hábitos e adotar o empreendedorismo jurídico, com a mente aberta, para um futuro de possibilidades.

Quer saber mais sobre a importância de uma postura empreendedora? Leia nosso post sobre Planejamento Estratégico Escritório de Advocacia: o passo a passo completo

Você também pode gostar

Deixe um comentário