Direito e Tecnologia: Porque você deve inovar antes de buscar tecnologias

Imagem de estagiários.
10 minutos para ler

Com a evolução das Lawtechs e Legaltechs, muitos advogados começaram a estudar sobre como inovar na área jurídica integrando Direito e tecnologia.

Atualmente, muito se diz sobre o uso da tecnologia na advocacia, em textos utilizando termos como robôs advogados, Machine Learning, Big Data e Inteligência Artificial, mas, a verdade é que compreender a maioria desses conceitos ainda é uma realidade distante na vida dos advogados

Isso acontece, porque os advogados estão buscando tecnologia, antes de se tornarem inovadores. O que é compreensível: a ideia de que direito e tecnologia se entrelaçam, podendo trabalhar em conjunto, ainda é nova e estranha aos profissionais do meio jurídico. O ramo é tradicional, ainda muito conservador, e extremamente resistente às mudanças rápidas na sociedade e no mercado de trabalho, especialmente mudanças envolvendo novas tecnologias.

É como se os advogados estivessem tentando aplicar “design de interiores” antes de aplicar conceitos básicos de construção civil.

Se você ainda não inovou na sua prática, não se preocupe. É possível, vale a pena, e vamos explicar como

Então, quer saber como inovar na prática?

Fique até o final, porque criamos um guia completo, com informações que podem mudar a forma que você se relaciona com os campos do direito e tecnologia.

Inovação X Direito e Tecnologia – Porque as Lawtechs podem não resolver o seu problema

O movimento das Lawtechs e Legaltechs é algo realmente positivo para o Direito. As soluções existentes  são reais e já causam grandes impactos para os seus usuários.

No entanto, para a maioria dos escritórios de advocacia e departamentos jurídicos, o problema é muito maior do que falta de tecnologia

Um escritório de advocacia que utiliza certas  práticas, como o Ctrl+C e o Ctrl+V para executar serviços jurídicos, pode até utilizar uma solução incrível, como a da Netlex, e reduzir muitos custos por meio da inovação.

Mas se a forma de atendimento do cliente e os processos internos não mudarem, se as pessoas e a cultura do escritório não se tornarem inovadoras, esses escritórios podem acabar perdendo sua vantagem competitiva. Isso porque a integração entre direito e tecnologia não é instantânea, e não demanda apenas que você saiba acessar alguns sites jurídicos: a inovação vai além e é mais profunda.

O que seria essa inovação?

A ideia de inovação é comumente associada a tecnologia. E é a resistência dos advogados e juristas mais tradicionalistas em aderir ao potencial de sucesso trazido pela junção do direito e tecnologia que faz com que a ideia de inovar no ambiente jurídico seja tão rejeitada. Inovar, no entanto, vai além de aderir ao uso da tecnologia no dia a dia.

O conceito vem do empreendedorismo, e carrega consigo a ideia de originalidade e, principalmente, criatividade. Na atividade jurídica, aderir a nova era da informação e utilizar de todos os meios para ampliar conhecimentos e atividades é essencial para o futuro. O escritório de advocacia deve ser tratado como uma empresa, um empreendedorismo, e como tal deve aplicar novas práticas trazidas pela Revolução 4.0

Imagem de uma lâmpada representando ideia, inovação.

Como surge a inovação?

Segundo Ballreich Rudi, a criatividade e a inspiração surgem a partir de um ambiente autêntico, que permite a compreensão mútua.

Para ser criativo, é preciso que haja liberdade para que as pessoas possam discutir e se expressar.

Para que um escritório de advocacia possa medir o nível de criatividade de sua equipe, uma boa medida é realizar o seguinte questionamento:

“Um estagiário geralmente traz suas opiniões a respeito de assuntos importantes?”

Se um estagiário não trouxer, podemos considerar que o nível de criatividade daquela equipe é baixo.

Análise do serviço de um advogado

A maioria dos advogados vê ou age como se seu serviço de maior valor exercido fosse entregar documentos em Word e PDF para seus clientes e para o Poder Judiciário.

Sim, de fato os “PDFs e Words” são muito importantes. E um bom advogado zela muito pela excelência, técnica e qualidade dos seus serviços jurídicos.

Entretanto, o que os clientes esperam dos advogados não é somente a qualidade dos seus serviços jurídicos consubstanciados em documentos, mas sim:

O atendimento de necessidades como: segurança, confiança, apoio, compreensão, justiça, proximidade e contato.

Isso significa que para que um escritório encante o seu cliente ele precisa fazer muito mais do que enviar um ótimo documento em Word.

Golden Circle

Direito, inovação e tecnologia na advocacia - Foto do Golden Circle

Simon Sinek trata desse assunto com maestria.

Ele compara duas empresas que vendem computadores.

Uma é a Dell, outra é a Apple.

E em seguida ele questiona: “Você compraria um carro da Dell?”

A maioria das pessoas responde: não, porque a Dell não vende carros. Eles vendem computadores.

Em seguida, ele questiona: “Você compraria um carro da Apple?”

Sim. A Apple é uma empresa que vende uma experiência, um conceito. É muito mais do que vender computadores.

Isso significa que os advogados que vendem apenas documentos em Word são piores ou ganham menos dinheiro?

Não necessariamente.

Mas os advogados que vendem atendimento às necessidades, propósito e uma boa experiência aos clientes, conseguem cativá-los e fidelizá-los. E, muitas vezes, conseguem cobrar ainda mais caro, pois geram mais valor aos clientes.

Assim, mesmo que esses advogados mudem sua área de atuação (dentro ou fora da advocacia), eles serão sempre vistos como referência de qualidade por seus clientes (da mesma forma que a Apple é vista).

Banner - Lawtech e Legaltech

As quatro áreas de um escritório de Advocacia

Imagem com escrito.

Neste contexto, acreditamos que a área jurídica é apenas uma apenas uma das quatro áreas que um escritório de advocacia deve desenvolver.

Além da área jurídica, o escritório deve desenvolver uma estratégia de aquisição de clientes, comunicação com os clientes e suporte ao cliente.

Aquisição de Clientes

O Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil e o Estatuto da Advocacia trazem limitações à aquisição de clientes na advocacia.

De fato, várias práticas não são permitidas. Por outro lado, isso não significa que o advogado deve captar clientes apenas com base na sorte e no boca-a-boca.

É preciso de criar uma estratégia sólida para aquisição de clientes, de acordo com o que é permitido pela legislação.

Um dos caminhos mais interessantes para um advogado é investir no Inbound Marketing, que é uma estratégia de produção de conteúdo jurídico de alto valor. Aqui, direito e tecnologia se encontram e formam uma dupla ideal para captar clientes com sucesso .

Nesse tipo de abordagem, o profissional produz conteúdos sobre o tema de sua especialidade e divulga gratuitamente. Como resultado, as pessoas que se interessarem pelo tema naturalmente acabam buscando o advogado e podem se tornar clientes.

Como fazer isso na prática?

Você pode contratar alguma agência de marketing para te ajudar. Entretanto, é importante que alguém de sua equipe também domine o assunto para maximizar os resultados.

Definição da essência

Qual é a essência do seu escritório? Por que vocês fazem o que fazem?

Para cumprir esse passo, lembre-se do conceito de “Golden Circle” e o que importa é a visão que todos possuem na prática.

Definição da principal área de atuação

Em qual área do direito o seu escritório atua? Qual é a área que traz mais resultados?

Quem é a sua persona? (cliente alvo)

Para quem vocês irão produzir conteúdo? Defina junto com seu time quem é a sua persona! Existem no mercado algumas ferramentas para geração de persona. Você pode utilizar para facilitar o trabalho.

Site e Redes Sociais

Com todas essas informações em mãos, é hora de atualizar o site e redes sociais para comunicar de forma clara sua proposta de valor.

Mapeamento de palavras chave

Existem várias ferramentas no mercado que pesquisam o que as pessoas digitam no google. Uma delas é o Ubersuggest, que é gratuita.

Você já se perguntou o que o seu cliente em potencial pesquisa? Por exemplo, se o seu cliente é uma startup, pode ser que ele já tenha buscado por: “como constituir uma empresa”, “o que é contrato de vesting?”, “o que é acordo entre sócios?”, “direito para startups”, etc.

Use alguma ferramenta para pesquisa de palavras chave e identifique todas as palavras que são importantes para que você produza conteúdo sobre essas palavras.

Assim, você aparecerá nas buscas feitas pelo seu cliente no Google.

Para saber mais sobre como fazer uma boa pesquisa de palavras-chave, leia esse artigo!

Definição de estratégia de produção de conteúdo

De acordo com o que sua persona busca no google, você pode produzir conteúdo, em forma de textos, vídeos ou fotos. O mais importante é manter a periodicidade.

Anúncios

Também pode ser interessante impulsionar alguns conteúdos de forma paga para alcançar um maior engajamento.

Offline

O offline ainda é muito presente e gera muitos resultados. O que você pode fazer para gerar valor para sua Persona? Participação em programas de rádio, eventos e palestras podem ser interessantes.

Acompanhamento dos resultados

Quantas visitas o seu site possui mensalmente? Quantas visitas as redes sociais possuem? Como aumentar o número de visitantes? Como fazer com que mais visitantes se tornem clientes? Como essas práticas estão contribuindo para a captação de clientes do seu escritório? O que pode ser aprimorado nesse processo?

Se você quiser aprofundar sobre esse tema, leia nosso Manual Completo sobre Marketing Jurídico!

Área Jurídica – Execução dos Serviços

Aqui você já sabe que existem lawtechs que podem te ajudar na execução de serviços.

Quais serviços vocês farão internamente ? Quais serviços vocês buscarão parceiros? Quais serviços vocês rejeitarão?

Qual impacto de rejeitar esses serviços?

Você já delimitou o processo de execução de serviços?

Lembre-se que a gestão horizontal pode te dar muito mais resultados e aumentar a criatividade de toda a equipe.

Customer Success

Não adianta fazer tudo isso e seu cliente não souber que tudo isso está sendo feito.

Como você pode aumentar a frequência de comunicação com o cliente? Como deve ser a linguagem com o cliente?

Suporte

E se um cliente pedir para esclarecer dúvidas? Qual o processo de atendimento do cliente? Em qual prazo os advogados devem responder?

Conclusão

Inovar no direito definitivamente não é fácil, é necessário desenvolver novas habilidades, fomentar uma cultura de inovação e buscar as soluções tecnológicas adequadas. Apesar da dificuldade, é algo que se mostra a cada dia mais essencial para o advogado do futuro, principalmente com a ascensão da Advocacia 4.0.

Falamos mais sobre tecnologia e inovação para advogados na prática na primeira aula do nosso curso gratuito. Você pode assistir abaixo.

Como você equilibra o uso do direito e tecnologia em sua profissão atualmente? Está preparado para inovar?

Você também pode gostar

2 thoughts on “Direito e Tecnologia: Porque você deve inovar antes de buscar tecnologias

Deixe um comentário