Diligências: como aumentar a eficiência de um escritório de advocacia?

"Diligências", "Diligência": Foto de um homem utilizando o telefone celular
7 minutos para ler

Diligências são tarefas, geralmente de menor complexidade, enviadas para advogados correspondentes cumprirem.

Trata-se de uma medida para melhorar a eficiência e reduzir custos de um escritório de advocacia.

O advogado, em geral, é conhecido por ser muito centralizador, com problemas sérios na gestão de equipes.

Mas o uso de diligências por advogados é uma evidência do contrário.

Os escritórios de advocacia já possuem algum conhecimento de gestão e sabem que serviços podem ser cumpridos de forma eficiente se forem executados por pessoas de fora da equipe jurídica interna.

O que os advogados podem aprender com o uso das diligências? Como aumentar a eficiência de um escritório? Como otimizar a execução de serviços jurídicos?

Abordaremos todos esses pontos no artigo de hoje! Se quiser reduzir custos fixos e aumentar os seus lucros, fique até o final.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Diligências: uma forma de economizar custos e aumentar a eficiência

O princípio central do envio de diligências para advogados correspondentes é o da eficiência.

Por que deslocar alguém interno de um escritório para um local distante?

Trata-se um de custo, de oportunidade e de tempo, muito alto. Por isso, é melhor contratar um advogado que reside no local em que deve ser cumprida a tarefa.

As diligências são tão vantajosas para os advogados que a prática é quase unânime em todos os escritórios de advocacia do país.

Entretanto, poucos advogados perceberam as oportunidades que existem por trás das diligências.

É preciso repensar na forma de execução de serviços jurídicos, para maximizar a eficiência e reduzir os custos. E, utilizando a mesma lógica das diligências, isso é possível.

Diligências: Quais as formas existem hoje para executar um serviço jurídico?

diligênciasA execução de serviços jurídicos pode se dar das seguintes formas:

1) Execução por meio da equipe jurídica interna

A execução pela equipe jurídica interna é a forma em que o advogado mais possui controle sobre a qualidade e agilidade dos serviços.

Talvez por isso, é que os advogados a utilizam em quase todos os casos. A execução interna, entretanto, traz altos custos fixos para os escritórios.

Afinal, cada advogado contratado implica uma remuneração mensal, um novo computador, uma nova cadeira, uma nova mesa, e um espaço maior. Quanto maior a equipe jurídica, maiores os custos fixos de um escritório de advocacia.

2) Execução por meio de um escritório de advocacia terceirizado (para departamentos jurídicos)

A execução por escritórios de advocacia terceirizados é uma prática unânime por grandes empresas, que possuem um volume grande de processos.

Essa forma de execução traz altos custos fixos, porque é feita geralmente por meio de um contrato mensal e recorrente, com base no volume de ações. A equipe jurídica interna perde um pouco do controle sobre a qualidade e agilidade na execução de serviços jurídicos.

3) Execução por meio de escritórios de advocacia ou advogados parceiros

A utilização de escritórios ou advogados parceiros é muito benéfica para os advogados, porque não implica o aumento nos custos fixos. Afinal, essas parcerias jurídicas são realizadas sob demanda.

Banner - Lawtech e Legaltech

Ao escolher um parceiro, leva-se em conta a qualificação técnica do mesmo. Entretanto, trata-se de uma execução externa, com menor controle sobre a qualidade e agilidade do serviço.

4) Execução por meio da contratação de advogados sob demanda

A contratação de advogados sob demanda é prática comum na advocacia. Os advogados correspondentes são um exemplo, muito utilizado para cumprir diligências, de forma ágil e com menores custos fixos.

Contudo, a contratação de advogados correspondentes faz com que o escritório de advocacia perca um pouco do controle sobre a qualidade da execução do serviço. Por isso, geralmente é utilizada para demandas de menor complexidade.

Existem outras soluções no mercado, como a Freelaw, que possuem mecanismos para gerar confiança na relação entre advogados e possibilitar a execução de serviços jurídicos com mais qualidade, agilidade e menores custos fixos para os advogados.

O que importa para um advogado na execução de serviços jurídicos?

Em todas as formas de execução de serviços jurídicos, existem três fatores relevantes para os advogados:

  1. Qualidade do serviço
  2. Agilidade
  3. Custos

A execução interna em geral, por exemplo, traz mais qualidade do serviço. Em alguns momentos, a agilidade pode ser prejudicada, mas o escritório possui um maior controle sobre toda a situação.

Por outro lado, em equipes jurídicas maiores, os custos fixos podem ser elevados.

Já a realização de parcerias ou advogados sob demanda diminui o controle da execução dos serviços. Mas podem representar uma grande redução de custos.

No entanto, hoje, existem mecanismos no mercado que ajudam os advogados a maximizarem a eficiência na execução de serviços jurídicos.

Assim como os advogados já perceberam que várias diligências não devem ser executadas internamente, também existem várias demandas jurídicas que podem ser executadas de outras formas.

Quando e como utilizar outras formas para executar serviços jurídicos?

Para saber exatamente se a execução interna está ou não sendo vantajosa, é preciso que o advogado analise dados.

Por exemplo, quanto tempo ele gasta para fazer uma petição inicial? Quanto ele recebe por esse serviço?

Se o advogado gasta 04 horas para fazer uma petição inicial, e o seu cliente paga um valor de R$ 5.000,00 pelo ajuizamento da ação, significa que o advogado está recebendo R$ 1.250,00 por sua hora de trabalho.

Caso esse advogado estivesse investindo sua hora de trabalho em uma outra tarefa, ele estaria recebendo mais benefícios?

Se ao invés de investir 04 horas na elaboração de petição inicial e o advogado investisse esse tempo na captação de clientes, por meio de Marketing ou reuniões com clientes, qual seria o resultado?

Com base nessas perguntas, os advogados conseguirão entender como maximizar o seu tempo e, consequentemente, seu lucro. Em alguns momentos, é necessário que o advogado gaste menos tempo na execução de demandas em si e invista mais tempo no atendimento ao cliente, na gestão do escritório e no Marketing, por exemplo.

Nesses casos, ele pode optar por contratar advogados sob demanda, aumentar sua equipe jurídica, fazer parcerias, ou todas ao mesmo tempo.

Para maximizar a eficiência, diminuir os custos e atuar de forma mais estratégica, é preciso valorizar todo o tempo gasto e priorizar as atividades mais importantes.

Com isso, o advogado conseguirá crescer ainda mais, aumentar a qualidade e agilidade da execução de serviços e diminuir os seus custos.

Esse é, inclusive, um caminho necessário para que o escritório se torne inovador. Afinal, advogados que só dispendem tempo para execução de serviços jurídicos, não têm tempo para inovar.

O que achou do nosso post?

Se quiser saber mais sobre Direito, Inovação e Tecnologia, leia nosso artigo e entenda porque você deve inovar antes de buscar tecnologia!

Você também pode gostar

Deixe um comentário