Como criar um site jurídico – O Guia Completo!

Como Criar um Site Jurídico - Foto de capa
11 minutos para ler

Quando o advogado se pergunta: “Como criar um site jurídico para o meu escritório?”, ele logo pensa em contratar um profissional. Não é mesmo? 

“Um serviço como esse só pode ser feito por um programador ou web design!” 

Pois é. Eu também pensava dessa forma. 

Até resolver ter um pouco de curiosidade e procurar saber como criar um site jurídico. 

Para minha surpresa, descobri que, ao contrário do que imaginam, não é nenhum bicho de 7 cabeças.

É verdade que uma ou outra parte pode ser mais difícil. Mas, no fim das contas, qualquer advogado consegue. 

Depois de pesquisar sobre como criar um site jurídico, resolvi pôr a mão na massa. Criei o site do meu escritório e até hoje o administro.

FIquei tão empolgado, que até me ofereci para criar sites para empreendimentos de alguns amigos e familiares. 

Por isso, resolvi contar um pouco dessa jornada aqui no blog da Freelaw. Ao mesmo tempo em que demonstro o passo a passo de como criar um site jurídico. 

Continue a leitura e conheça o guia completo sobre o assunto!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

A importância de um site jurídico para o seu escritório

Antes de aprender a fazer um site, é preciso saber a importância dele para o seu negócio. 

Afinal, criar um site jurídico demandará um pouco do seu tempo. E tempo é algo precioso na rotina de um advogado. 

Se você acompanha o blog da Freelaw, com certeza já sabe sobre essa importância. Mas, de qualquer forma, aqui vai uma lista de motivos para você criar o seu site:

Gerar credibilidade para o escritório e para os advogados 

É importante que os advogados transmitam suas credenciais e a de seus sócios. 

As especializações que já fizeram, mestrado, doutorado, posse de algum cargo na OAB, cargo de professor. 

Além disso, uma estratégia muito utilizada por diversas empresas é colocar o depoimento de clientes. Cada um contando da competência e qualidade do serviço prestado.

Tudo isso serve para transmitir credibilidade e gerar orgulho ao cliente pelo advogado que ele contratou.

Criar autoridade por meio de transmissão de conhecimento 

Além das especializações e do currículo, outra forma de gerar credibilidade é por meio de educação jurídica de qualidade. 

Com o site, você pode produzir artigos e conteúdos educativos para seus clientes. Tais conteúdos ficam disponibilizados no blog do site e podem ser compartilhados pelas redes sociais e pelo email. 

O que gera educação ao cliente e a demonstra autoridade nos assuntos que você escreve.  

Um exemplo disso é a newsletter da Freelaw. Lá, ela consegue compartilhar, pelo email, diversos conteúdos que estão no seu blog.

Captar clientes por meio de marketing jurídico

Sem dúvida, a principal utilidade de um site jurídico é aplicar o marketing jurídico para captação de clientes. 

Com o blog, você consegue produzir seus conteúdos educativos e de qualidade e compartilhá-los por meio dos buscadores do Google e de suas redes sociais. 

Com isso, seu site é encontrado por aqueles que buscam por respostas de problemas jurídicos na internet. 

Quando você gera educação e soluciona o problema de alguém por meio desses conteúdos, a probabilidade de conquistá-lo como cliente aumenta muito. Mesmo que essa contratação não aconteça de forma imediata. 

Se você quiser saber mais sobre isso, recomendo os conteúdos aqui do blog da Freelaw: Marketing Jurídico e Inbound Marketing.

Passo a passo de como criar um site jurídico para o seu escritório 

Demonstrada a importância, vamos ao passo a passo de como criar um site jurídico. 

1) Defina o objetivo do seu site jurídico

Eu mostrei, acima, algumas utilidades de um site jurídico. É possível, porém, que você não queira utilizar seu site para todas essas funções.

Talvez, você queira apenas criar um site institucional, que apresente o escritório e os advogados para o público. 

Talvez, você queira fazer um site completo, que seja institucional, mas também produza conteúdos jurídicos rotineiramente. Esses são os casos mais comuns. 

Ou você pode optar por dar ênfase apenas em um blog jurídico – o que é o caso do meu escritório.  

É muito importante que esse objetivo esteja bem claro. Pois ele será decisivo nas escolhas que vão vir a seguir, como o design do site e a sua hospedagem.  

2) Escolha um domínio

Definido o objetivo, começa a criação do site jurídico. 

O primeiro passo é definir o domínio do site e garantir que você poderá usá-lo.

O domínio é o endereço do seu site. É a forma como ele será encontrado na internet. Por exemplo, o domínio do Google é google.com. O domínio da Freelaw é freelaw.work

Foto 01 - Como criar um site jurídico

Outro ponto importante é definir a parte final do domínio. Se será .com.br, .com, .adv. 

Geralmente, os escritórios de advocacia escolhem o complemento .adv. Na prática, isso não faz muita diferença. É apenas uma questão de gosto. 

Para garantir o seu domínio, você pode registrá-lo junto com a contratação da hospedagem, assunto que vou explicar no próximo tópico. Ou pode registrá-lo separadamente, no registro.br.  

Basta digitar o seu domínio, verificar se ele está disponível e comprá-lo. 

O preço costuma variar de R$ 30,00 a R$ 40,00. 

3) Escolha uma hospedagem para o site

O serviço de hospedagem é responsável por manter o seu site no ar. Ele também serve para salvar as imagens, arquivos e conteúdos postados. 

Para isso, você deverá escolher uma empresa que presta esse serviço e um plano de hospedagem.

Em relação às empresas, existem várias no mercado: Hostgator, Hostinger, King Host, Locaweb, e outras.   

Quanto ao plano de hospedagem, existem dois tipos básicos:

  • hospedagem compartilhada;
  • hospedagem na nuvem.

A hospedagem compartilhada costuma vir com um preço mais barato. Mas, como o nome diz, você compartilha a hospedagem com outros sites. O que resulta em maior lentidão às suas páginas. 

Arquivos, imagens e demais documentos ficam armazenados nas máquinas da empresa de hospedagem, junto com arquivos de outros sites. 

A hospedagem na nuvem, por sua vez, armazena os arquivos em uma rede de internet. Não há armazenamento nas máquinas das empresas de hospedagem.  

Isso representa mais velocidade e maior capacidade de receber visitas da sua página. Em contrapartida, o preço costuma ser mais salgado.

Se você está apenas começando com o primeiro site, sugiro a hospedagem compartilhada. É a que eu uso no meu site. 

Porém, para os sites de escritórios que já recebem uma quantidade bem grande de visitas/mês, a hospedagem na nuvem é a melhor escolha.  

Dica extra: cPanel

Depois de escolher o serviço de hospedagem, você vai utilizar uma ferramenta de controle do site. Uma espécie de painel de controle.  

Nesse painel, você poderá criar e-mails personalizados com o domínio, subdomínios, vincular seu site com um construtor de páginas. 

A depender da empresa contratada, essa ferramenta pode variar. 

Mas, a melhor de todas, sem dúvida, chama-se cPanel. É a mais comum e a mais fácil de se utilizar. 

Por isso, pergunte para o vendedor ou atendente da empresa de hospedagem se a ferramenta que eles se utilizam é o cPanel. Caso não seja, sugiro que procure hospedagem em outra empresa. 

Foto 02 - Como criar um site jurídico

4) Vincule um construtor de página ao seu site jurídico

Com o domínio definido e a hospedagem contratada, chega a parte boa!

É hora de construir o site!

O grande motivo de a construção de um site, hoje, ser acessível a qualquer advogado é o fato de existir os construtores de páginas. 

Com eles, você não precisa ter nenhum conhecimento em programação para fazer a sua página na web. 

Apesar de existirem vários tipos de construtores, não vou ficar em cima do muro. O melhor de todos chama-se WordPress.

No mundo inteiro, em cada 3 sites, 1 foi construído por meio de WordPress. 

E não é pra menos. Ele é gratuito e muito prático de usar. 

Foto 03 - Como Criar um Site Jurídico

Além do WordPress, outro construtor que pode ser citado é o Joomla

Mas como eu instalo o WordPress no meu site jurídico? 

Se a hospedagem escolhida por você usar o cPanel, é por ele que o construtor será instalado. Seja o WordPress ou outro construtor de páginas.

Basta ir à esquerda da página inicial do cPanel e clicar em Softaculous Apps Installer

Foto 04 - Como criar um site jurídico

O Softaculous Apps Installer é um lugar onde você encontra vários tipos de ferramentas que podem ser integradas ao site. Ao abri-lo, basta clicar na tela de busca, digitar o nome “WordPress” e instalá-lo. 

Caso o seu gerenciador de site não seja o cPanel. Você pode baixar a última versão do WordPress neste link e instalá-lo. 

5) Escolha um design para o site

Com o WordPress instalado, é hora de pôr a mão na massa. 

Uma tela parecida com essa se abrirá para você:

Foto 03 - Como Criar um Site Jurídico

A partir disso, para o site começar a ser montado, você deve escolher o tema. 

O tema, basicamente, é o esqueleto das suas páginas. É ele quem define o design e a organização das imagens, a fonte das letras, o layout da barra do menu. Enfim, toda a estrutura do site. 

O WordPress tem mais de 6 mil versões de temas disponíveis. Entre versões gratuitas e pagas, é lá que você definirá qual será a cara do seu site jurídico:

Abaixo, alguns exemplos de temas gratuitos para o seu site:

Foto 05 - Como criar um site jurídico

Foto 06 - Como criar um site jurídico

Foto 07 - Como criar um site jurídico

São tantas opções, que fica até difícil saber qual escolher.

Eu tive muitas dúvidas. Perguntei para amigos que tinham mais experiência do que eu, busquei em fóruns na web. Mesmo assim, não consegui esgotar as opções.

Por isso que, no início, eu coloquei como primeiro passo a definição dos objetivos para o seu site jurídico.  

Estude bem antes de definir a sua escolha. Para te ajudar, recomendo esse conteúdo sobre 145 temas gratuitos para WordPress

6) Baixe os melhores plugins

Em conjunto com a escolha do tema, é necessário escolher os melhores plugins.

Mas o que é plugin?

Plugin é uma espécie de ferramentas de auxílio do tema na construção do site.

Eu costumo compará-los com os aplicativos de celular. Quando você compra um celular novo, para que você possa usá-lo da melhor forma, é necessário baixar diversos aplicativos. Caso contrário, ele “apenas” vai ligar e receber chamadas. 

Os plugins funcionam da mesma forma. Para que seu tema possa ser bem utilizado, é necessários alguns plugins de auxílio.

E assim como os aplicativos de celulares, existem milhares de plugins. Para que você possa ficar por dentro dos mais essenciais para o seu site, sugiro esse conteúdo com uma lista dos melhores

Com o tema e os plugins definidos, você terá todas as ferramentas necessárias para construir um site jurídico!

Conclusão

Construir um site jurídico não é mais uma tarefa reservada aos programadores.

Pelo contrário. Hoje, temos diversas ferramentas que possibilitam que qualquer pessoa consiga isso. 

Basta um pouco de estudo e de tempo para focar na construção das páginas.

Esse conteúdo visa te ajuda a dar o primeiro passo. 

Além dele, eu sugiro que você procure por vídeos no YouTube que demonstram a construção na prática! 

A minha sugestão, para quem quer construir o seu próprio site, é acompanhar o passo a passo apresentado nesse texto e complementar com alguns desses tutoriais.

Tenho certeza que você conseguirá construir o seu site e dar um plus na sua advocacia. 

Além disso, se você preferiu contratar alguém, esse conteúdo também pode te ajudar. 

Com ele, você terá muito mais autoridade na hora de conversar com a pessoa que está construindo seu site jurídico. 

E se ficou alguma dúvida, não deixe de comentar aqui em baixo. Vai ser um prazer te ajudar!

Você também pode gostar

Deixe um comentário