Advogado júnior e o problema estrutural dos escritórios

Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Sócio e Estagiário de Direito. Problema na estrutura organizacional dos escritórios de advocacia
8 minutos para ler

Advogado júnior, advogado pleno, advogado sênior e estagiário de direito são nomes comuns dentro da estrutura organizacional de escritórios de advocacia.

Como é exatamente a estrutura organizacional dos escritórios de advocacia? Qual o problema que elas possuem?

Como é a estrutura organizacional de empresas inovadoras fora do direito? O que podemos aprender com essas empresas?

Ao final do post de hoje, você terá maior conhecimento sobre as atuais estruturas organizacionais de escritórios de advocacia e sobre novas possibilidades de trazer mais inovação para o Direito. Fique até o final!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Estrutura dos escritórios de advocacia:

Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior e Estagiário de Direito

As etapas da carreira de alguém no Direito em um grande escritório de advocacia são muito bem definidas.

Infográfico da Carreira Jurídica e estrutura dos escritórios de advocacia. Estagiário de Direito, Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior e Sócio

O profissional inicia como estagiário, em seguida quando se graduar pode se tornar um advogado júnior. Depois de anos de experiência, o advogado pode se tornar um advogado pleno.

Os advogados ainda mais experientes poderão se tornar advogados seniores e o topo da pirâmide finaliza com o advogado se tornando sócio do escritório.

Alguns escritórios possuem ainda a denominação de advogado “master”, outros possuem advogados pleno I e pleno ll, mas, em geral, as estruturas são bem parecidas.

Por isso, analisaremos cada uma dessas funções.

Estagiário de Direito

O estagiário de direito é a base dessa pirâmide. Em alguns escritórios essa função é deturpada e o estagiário é utilizado apenas para funções administrativas e operacionais.

É comum que os estagiários sejam responsáveis pelo cumprimento de petições de juntada de documentos, ou petições de menores complexidade, e também pelo cumprimento de diligências e acompanhamento de processos nos tribunais.

Os escritórios que realmente investem na capacitação dos estagiários incentivam ao máximo a produção jurídica e intelectual do estudante. Nesse tipo de situação, é comum que estagiários possam ter rotinas semelhantes com a de advogados, com muita execução de trabalho jurídico, por vezes, com menor supervisão do que deveria.

Advogado Júnior

O próximo caminho na pirâmide organizacional de um escritório acontece por meio da aprovação na OAB.

Depois que o estudante de direito consegue sua carteira da ordem, ele será um postulante a vaga de advogado júnior. Um profissional com, geralmente, 01 a 04 anos de experiência profissional.

Nesse caso, é esperado que os advogados já recebam os seus primeiros clientes e executem demandas com uma supervisão ainda menor.

No caso de advocacia de volume, os advogados juniores são responsáveis pela elaboração de petições jurídicas em massa, em uma atividade extremamente repetitiva.

Uma estrutura organizacional com centenas de advogados juniores é uma das estratégias mais utilizadas para o crescimento de grandes escritórios de advocacia.

Advogado Pleno

Por anos de experiência, não necessariamente por mérito, um advogado se torna advogado pleno.

Trata-se de um profissional com cerca de 04 a 09 anos de experiência profissional.

Em muitos escritórios o caminho de advogado júnior e pleno não é tão claro assim e é pouco meritocrático. Por isso, não são raros os casos de advogados juniores que entregam serviços com mais qualidade do que advogados plenos.

Apesar disso, geralmente, os advogados plenos são mais qualificados, experientes e possuem mais responsabilidades, atuando em casos mais complexos.

Alguns escritórios exigem algum tipo de pós-graduação para que os profissionais se tornem advogados plenos.

Advogado Sênior

O advogado sênior é um profissional com mais de 10 anos de experiência, que possui autonomia para tomar decisões e executa demandas com alta complexidade.

Da mesma forma que acontece com os advogados plenos, geralmente, o caminho para se tornar advogado sênior não é tão claro assim e nem sempre o mais meritocrático.

Sócio

O sócio do escritório, em regra, cuida de questões de gestão interna, relacionamentos, captação de clientes e participa na elaboração de estratégias jurídicas.

A execução de serviços jurídicos, em geral, se dá em menor volume do que os advogados seniores.

O caminho para que um advogado se torne sócio de um escritório é o mais nebuloso de todos.

Geralmente exige uma avaliação subjetiva dos demais sócios, entrega de muitos resultados e captação de clientes importantes.

O problema da estrutura dos escritórios

Em uma breve análise de cada um dos cargos de um escritório de advocacia, é possível perceber vários dos problemas que ocorrem com frequência.

A falta de clareza quanto à progressão de carreira e os próprios critérios para que essa progressão ocorra desmotiva muitos advogados. Por isso, é cada vez mais raro que um estagiário se torne sócio em um escritório.

Os advogados, principalmente os Millenials, “the burnout generation”com idades entre 22-37 anos, se sentem extremamente incomodados com a estrutura rígida, a pouca flexibilidade e o ambiente de alta pressão a que são submetidos.

Por isso, aumenta-se o número de rotatividade nos escritórios e, como consequência, a retenção de talentos se torna cada vez mais difícil.

Banner - Lawtech e Legaltech

Essa regra, entretanto, já apresenta suas exceções.

O escritório Batista Luz Advogados, por exemplo, propõe uma estrutura mais horizontal, com um espaço de trabalho para advogados semelhante ao de startups.

Inspirado em exemplos como esse, é comum que advogados experientes se unam e criem novos formatos de escritórios de advocacia.

Um caso bem sucedido é do escritório Freitas Ferraz. Fundado em 2016, por advogados e estagiários oriundos das melhores bancas de advocacias do país, propõe uma nova abordagem para o mercado.

Percebe-se, portanto, que o modelo antigo da estrutura organizacional dos escritórios apresenta diversos sinais de que sucumbirá. Alguns poucos escritórios inovadores já estão buscando alternativas e saindo na frente dessa disputa.

Os advogados que quiserem fazer o mesmo podem seguir esses exemplos e também se espelhar em empresas inovadoras fora do direito. Vale a pena também buscar inspiração no Livro, Tomorrow’s Lawyers, de Richard Susskind.

Tomorrow's Lawyers - Livro de Direito, Inovação e Tecnologia. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Sócio e Estagiário de Direito. A estrutura organizacional dos escritórios de advocacia precisa mudar.

Estrutura de empresas inovadoras fora do direito

Existe uma vasta literatura que relata casos de inovação fora do direito. Estão na moda vários termos, como “Gestão Ágil”, “Crescimento Exponencial”, “Métodos Lean”, “Design Thinking”, etc.

Na prática, as empresas de maior sucesso são cada vez mais organizadas de forma horizontal e desenvolvem formas de valorizar as pessoas e a multidisciplinaridade.

Caso queira saber mais sobre algum desses assuntos, nossa equipe separou uma lista com 10 livros que podem ser essenciais para a mudança de sua organização.

1) Organizações Exponenciais

Livros para Advogados. Direito, Inovação e Tecnologia. Organizações Exponenciais. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Estagiário de Direito e Sócio

O livro aborda o conceito de crescimento exponencial e casos de empresas que crescem dessa forma.

2) Um Novo Jeito de Trabalhar

Livros para Advogados. Direito, Inovação e Tecnologia. Um novo jeito de trabalhar. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Estagiário de Direito e Sócio

Como é trabalhar na Google? O que eles fazem? É o que aborda esse clássico.

3) Reinventando as Organizações

Livros para Advogados. Direito, Inovação e Tecnologia. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Estagiário de Direito e Sócio. Reinventando as organizações

O livro traz o conceito de organizações geridas com base na autogestão, uma forma mais horizontal e humana para gerir empresas e pessoas.

4) Blitzscalling

Livros para Advogados. Direito, Inovação e Tecnologia. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Estagiário de Direito e Sócio. Blitzscaling

O fundador do Linkedin, Reid Hoffman, analisa o que fazem as empresas que mais crescem no mundo. Publicado no fim do ano de 2018.

5) Antifrágil

Livros para Advogados. Direito, Inovação e Tecnologia. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Estagiário de Direito e Sócio. Antifrágil

Nicolas Taleb analisa o que as empresas que querem sobreviver no mundo caótico atual precisam desenvolver. Mais do que serem resistentes, as empresas precisam ser antifrágeis.

6) A Lógica do Cisne Negro

Livros para Advogados. Direito, Inovação e Tecnologia. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Estagiário de Direito e Sócio. A lógica do cisne negro

Por que mudanças acontecem? Princípios da aleatoriedade explicam porque grandes empresas desaparecem todos os anos.

7) A Estratégia do Oceano Azul

Livros para Advogados. Direito, Inovação e Tecnologia. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Estagiário de Direito e Sócio. A estratégia do oceano azul

Como fugir da competição e criar um novo mercado de atuação? É o que abordam os autores W. Chan Kim e Renée Mauborgne.

8) SCRUM

Livros para Advogados. Direito, Inovação e Tecnologia. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Estagiário de Direito e Sócio. Scrum

As melhores práticas de gestão ágil utilizadas pelos times mais produtivos do mundo.

9) High Output Management

Livros para Advogados. Direito, Inovação e Tecnologia. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Estagiário de Direito e Sócio. High Output Management

Um dos livros clássicos mais recomendados sobre liderança e gestão.

10) A Estratégia da Inovação Radical

Livros para Advogados. Direito, Inovação e Tecnologia. Advogado Júnior, Advogado Pleno, Advogado Sênior, Estagiário de Direito e Sócio. A estratégia da inovação radical

Pedro Waengertner analisa casos de grandes empresas brasileiras, como a Natura, que estão incorporando práticas de startups e metodologias ágeis para inovar.

O que achou do nosso artigo de hoje? Aguardamos sua opinião nos comentários!

Se quiser saber mais sobre a nova forma de advogar, leia nosso post: O melhor advogado do Brasil!

Você também pode gostar

Um comentário em “Advogado júnior e o problema estrutural dos escritórios

Deixe um comentário